As etapas necessárias para a escolha de alojamento

O meu colega webmaster, Ricardo, ofereceu-se para escrever este guest post no blog sobre as etapas necessárias à escolha de um alojamento pago. Fez este guest post como prova do seu trabalho e da sua qualidade na escrita de artigos, como poderão ver a qualidade do artigo em baixo. Este artigo trata das decisões que se devem tomar previamente à escolha de uma empresa de alojamento pago. São passos obrigatórios a tomar por todos os iniciados na matéria.

Analisar se vale a pena

Antes de tudo, vamos analisar o nosso projecto e ver se ele precisa realmente de alojamento pago ou se podemos ficar por um simples alojamento grátis. Isto porque se vamos fazer um investimento inicial, é dinheiro que irá sair da nossa carteira, e para não ser dinheiro perdido, se o projecto for algo básico e sem grande projecção, não vale a pena o investimento e podemos ficar por um mero alojamento gratuito (e em Portugal já temos algumas ofertas interessantes, nessa área). 

Escolher várias hipóteses/empresas

Esta é uma das coisas mais importantes que vamos fazer no nosso processo de escolha de alojamento(pago), porque daqui vai passar a qualidade do nosso serviço. Devemos construir uma lista com várias hipóteses, para depois analisar as mesmas e termos a nossa escolha final. É muito importante ter em atenção a oferta e a apresentação sobre essa oferta, para que não possamos sair prejudicados da compra de alojamento.

Saber mais sobre as empresas seleccionadas

Depois de já termos a nossa lista na mão devemos recolher a máxima informação que conseguirmos sobre todas as hipóteses pré-seleccionadas. Para isso devemos tentar falar com pessoas experientes na área com o intuito de obter mais informações, se possível de clientes (das provedoras de serviço em questão). De seguida devemos saber mais informações sobre os servidores e a  infra-estrutura de todas as provedoras de serviços da lista, de modo a ver se tem um bom uptime, isto é um tempo razoável com o servidor estável, sem ter de ser reiniciado e umas boas velocidades (recomendo terem ligações de 100Mbps e servidores em Portugal, caso o vosso website tenha um público alvo português).

O espaço e o tráfego

Depois de termos uma noção de todas as hipóteses devemos ver o que nos é oferecido por cada empresa a nível espaço em disco e tráfego mensal, esta questão tem tudo a ver com o que queremos e precisamos para o nosso projecto, mas devemos ter sempre em atenção a questão do overselling (que é um método pouco recorrido por empresas portuguesas). Para a escolha do espaço em disco e tráfego necessário, deve analisar o teor do seu website e fazer uma projecção a médio prazo, de modo a ter uma ideia do que será necessário “alugar”.

A relação da qualidade e preço

Esta é a questão em que devemos ter atenção (não por ser a última mas sim porque o que está em questão é o nosso dinheiro e disponibilidade). Eu recomendo a todos a fazerem pagamentos mensais e a trabalharem com empresas estejam legalizadas em Portugal e que passem facturas, porque assim temos sempre uma garantia e podemos contestar o serviço que nos está a ser prestado se o mesmo não for de qualidade.

Como já havia dito, este artigo foi escrito pelo meu colega webmaster Ricardo. Caso queiram um artigo com a qualidade comprovada, utilizem este e-mail para pedidos de orçamentos. Só tenho de agradecer ao Ricardo a oferta deste artigo!

Comments 9

  1. MLR disse:

    Embora não me dissesse nada de novo, gostei bastante do artigo 🙂

  2. Diogo Pinto disse:

    Caro MLR,
    Para os mais experientes isto é apenas a constatação do óbvio. Este acaba por ser um artigo muito interessante para iniciados nesta matéria! Agradeço imenso o comentário!

    Cumprimentos 😉

  3. Roberto disse:

    acho que escreves-te muito e disseste pouco… tens partes básicas de mais, extremamente óbvias mesmo para utilizadores inexperientes, andas-te um bocado a encher chouriços…

    será que os iniciados nesta matéria sabem o que é overselling? ou é explicado ou mereceria aí um link para o post de overselling

    será que é assim tão relevante o servidor ser em Portugal só porque o projecto é para um público alvo português? quando há preços muito mais baixos lá fora.

    o uptime merecia mais destaque

    o suporte é importantíssimo para quem se inicia na compra de alojamento, geralmente tem muitas duvidas… tempo de suporte, métodos para contactar a empresa (MSN, telefone, fax…)

    acho muito importante também, reparar se a empresa tem uma morada visível no site, pode ajudar muito caso o negócio corra para o torto

  4. Diogo Pinto disse:

    Caro Roberto,
    O artigo foi criado não por mim, mas por outro webmaster. Existem lacunas a serem preenchidas, que irão ser abordadas mais tarde, em outros artigos!
    Agradeço o comentário e ainda mais os reparos!

    Cumprimentos

  5. Celso Azevedo disse:

    Para mim o artigo está bom. Para que é novo nisto com certeza vai ajudar em alguma coisa.
    Penso que antes de partir logo para um alojamento pago, devemos de andar pelos gratuitos. No meu site passei por uns 10 hosts gratuitos e só depois comprei o alojamento. Com isso aprendi a trabalhar com diversos painéis de administração e consegui ver (tráfego e espaço) o que precisava num alojamento pago.

    Cumprimentos

  6. Mix_93 disse:

    @Roberto
    O que foi dito no artigo foi tudo por alto e se vires todos os pontos estão interligados com o que disseste.

  7. Celso Azevedo disse:

    @Roberto,
    “preços muito mais baixos lá fora”. Penso que seria melhor pagar uns 5 ou 10 euros a mais e saber o que estamos a utilizar. Não é por ser estrangeiro que é bom. Existem muitas empresas ‘fakes’ que não têm qualidade nenhuma.

    Penso que no próximo post sobre alojamentos, deve-se ser publicado uma lista dos alojamentos portugueses e internacionais.

    Cumprimentos

  8. anjo2 disse:

    Existe muito mais coisas além disso.
    1. Analisar se vale a pena
    R: Se é um projecto vale sempre a pena, se é apenas para testar pode não valer a pena.
    2. Saber mais sobre as empresas seleccionadas
    R: É muito mais difícil do que parece, principalmente para quem não tem experiência, procurar feedback em fóruns pode ser uma solução, mas não se esqueçam que o que é bom para uns pode ser mau para outros, e existe imenso feedback adulterado.
    Infraestrutura na maioria das vezes não tens como saber se é verdade, e ligação de 100Mbps é a ligação com o switch? 100Mbps para quantos servidores? Não têem como saber.
    Uptime não é assim tão fácil ver, os servidores às vezes são monitorizados por exemplo pelo nagios outras vezes por empresas próprias para isso que vêm se o servidor responde, por exemplo o webhostingstuff.com é péssimo, simplesmente o servidor está quase sempre online, as vezes mete down quando não está e diz up quando está down… Pessima ferramenta para ver o uptime real.

    Vou passar a falar de pormenores que fazem a diferença,
    1- Contactar a empresa com várias questões (mesmo que aches estúpidas) e ver tanto o tempo de resposta como a qualidade das respostas, mas atenção que muitas vezes existe vários departamentos, e o suporte deve ser sempre mais rápido do que o comercial, mas no entanto às vezes dão mais atenção ao comercial pois é a vinda de mais clientes.
    2- Procurar projectos alojados pela empresa, principalmente se os conheceres pode ser um bom motivo, e se for projectos grandes (com mais de 100 pessoas online em intervalos de 5min, e dão de 999999999999h pois isto não é pessoas online, mas sim as mortas e tudo) o feedback é ainda mais valioso.
    3- Painel de alojamento, geralmente o utilizado é o cPanel em linux e Plesk em Windows, tenham atenção a isto, não estou a dizer que o cPanel é o melhor, mas é o preferido, pelo que transferências entre alojamentos será muito mais fácil se tiverem o mesmo painel, neste caso cPanel no linux e Plesk no Windows (A produção do cPanel para o windows está a andar bem, e para o ano já deve estar aí a bombar, veremos se não passa a ser o favorito no Windows, no entanto cuidado pois no primeiro ano deve ter imensos erros ainda)
    4- Sistema de backups, Existe muitos sistemas de backups, o mais normal é fazerem diários, semanais e mensais, o que apesar de ser melhor que nada é mau, mas pior ainda é fazerem para o disco principal, isso passa a ser igual a 0, por exemplo no cPanel, no inicio de um mês é renovado todos os backups e passas a ter apenas o diário, se quiseres um anterior podes esquecer… Pior é se o disco principal do servidor avariar e tenha os backups, lá se vai o teu trabalho.
    Conheço empresas que fazem dos últimos 10 dias (no estrangeiro), a Weblusa faz dos últimos 7 dias e acho que todas deviam fazer pelo menos dos últimos 7 dias.
    Existe também o utilitário da R1Soft que é simplesmente fantástico, para quem não o conhece, pode ser implementado em vários painéis de alojamento e são configurados vários pontos de restauro, por exemplo de hora em hora ele analisa todos os ficheiros e todos os que forem alterados ou novos ele guarda no ponto de restauro, deste modo, se apagarem um ficheiro sem querer, podem o ir buscar à data que quiserem e em pouco tempo está restaurado, quando digo um ficheiro é só um exemplo, pode ser mais do que um.
    5- Em que nome ficam os domínios, é uma questão muito importante, os domínios é a tua entidade na web, pelo que nunca a deves perder. Muitos aconselham a registar o domínio num local diferente do alojamento, o qual discordo totalmente, é porque vão comprar alojamento num sitio onde não confiam a 100% e pelo tal secalhar não é a solução ideal, no entanto o mais importante é terem acesso a um painel onde tenham acesso ao código do domínio (auth code) e o domínio fique no vosso nome. Não se fiem em empresas muito grandes em serem de confiança, a maioria coloca os seus dados nos domínios, o que na teórica faz com que os domínios sejam deles.

    Não me estou a lembrar de mais nada muito relevante, se tiverem dúvidas acho que sabem onde me encontrar, e espero que o meu comentário não seja maior do que o artigo.

    Cumprimentos
    Cláudio Patrício

  9. Diogo Pinto disse:

    Caro Claudio Patrício,

    Realmente o seu comentário é um pouco extenso, mas que está muito bem elaborado e contem informação preciosa, não posso negar! O meu obrigado pelo comentário!

    Cumprimentos

Comments are closed.